Archive for the ‘Profissão Sexo’ Category

h1

Cadilac, bi-bi!

27/05/2010

Por Juliana Narimatsu

Sim, caro leitor, hoje irei falar sobre um Cadilac, ou melhor, uma! Achou estranho? O que carro tem haver com sexo? Na verdade tem, e muito! Conhece a Rita? Rita Cadilac? Pois é, leitor, irei falar sobre seu filme Rita Cadilac, A Lady do Povo (aprecie com moderação), além de contar um pouco da história sobre a ex-chacrete.

Rainha do Bumbum Read the rest of this entry ?

h1

SEXO CASUAL. Saiba como se dar bem nele!!!

30/04/2010

Por Daiana Ferreira

Antes da revolução sexual feminina, muitas mulheres buscavam companheiros perfeitos e maridos para vida inteira. Hoje, esse tipo de pensamento, este cada vez mais raro. Relacionamento repleto de cobranças, responsabilidades e compromissos não são mais tolerados por algumas mulheres. Elas querem celebrar a vida, curtir-lá em todos os sentidos, sem ter que se preocupar com o amanhã, sem ter que dar satisfação a ninguém e nem ter que lavar cuecas ou fazer a janta no dia seguinte.

E se você acha que este tipo de relação combina com seu jeito de viver e celebrar a vida, mas você não sabe por onde começar. Bem vindo ao clube dos homens que não ligam para o sexo casual. Segue abaixo um mini manual para ter sempre uma mulher esperando por seus dotes e serviços.

Os 10 mandamentos do SEXO CASUAL

1- Você não é namorado! Logo não cobrarás nada, absolutamente nada.

2- Você será o ouvinte mais interessante da face da terra. Mudinho, sabe com é? Só falarás quando solicitado.

3- Sabe qual será sua profissão? Animador. Serás um homem sempre bem humorado e divertido, fará a mulher que está ao seu lado dar risada sempre. Quando ela estiver triste, você terá a difícil missão de mudar esse quadro.

4- Você não poderá nunca se sentir como amante. Quando ela arrumar um namorado vier a se casar, você será seu melhor amigo. E caso ela queira fazer sexo casualmente com você, estará SEMPRE DISPONÍVEL, mesmo contra sua própria vontade.

5- Não te apaixonarás. Você nunca será o marido ou namorado da mulher com quem você se deita casualmente. Ela só quer você como amigo sexual, ou seja, é APENAS ISSO QUE ELA QUER de você.

6- Será um leão na cama. Estarás sempre disponível para o que der e vier. Transará com a mulher que te escolheu como se fosse seu último dia de vida. Levará ela as nuvens para ver o céu e as estrelas. Sabe como é? DEDICAÇÃO TOTAL a sua comandante.

7- Nunca darás “chiliques”. Você não tem o direito de ficar chateado ou emburrado. Lembre- se: você é sinônimo de alegria e diversão.

8- Você deverá descobrir, em curto espaço de tempo, o que satisfaz a mulher que te “contratou” como servidor. Darás prazer a ela sempre. Nunca estarás cansado ou sem ânimo. Tua tarefa será: DAR PRAZER, DAR PRAZER, DAR PRAZER!!!

9- Será homem mais generoso desta terra. Humildade será seu lema. Se contentarás com pouco e não reclamarás nunca da falta de atenção, carinho ou sexo. Lembre-se: É SEU DEVER atender as necessidades da mulher com que você está.

10-Se precisar tomar Viagra, tome. Estará sempre de “prontidão” para os chamados da sua dona. Fique sempre alerta, pois se caso você “amolecer” quando estiver de trabalho, serás dispensado no mesmo instante.

Aproveitem a oportunidade e faça uma mulher feliz!!!

Conte-nos sobre suas dúvidas e sugestões pelo e-mail blogpuravolupia@gmail.com e siga o @pura_volupia no Twitter!

h1

Estudo inédito revela benefícios da pornografia

31/03/2010

Por Graziella Severi

 O acesso a materiais pornôs está sem dúvida mais fácil do que nunca, sendo a internet uma facilitadora. É estranho imaginar que há algumas décadas atrás a coisa não funcionava tão bem assim, para se comprar algo erótico era preciso se submeter a certo constrangimento de ir a uma banca de jornal, ou mesmo uma vídeo locadora, sendo necessário entrar naquela obscura salinha aos fundos destinada ao público adulto.

 As pessoas que consomem produtos pornôs geralmente não falam de forma aberta a respeito do assunto, ou você por acaso já presenciou alguma conversa do tipo: “Nossa ontem assisti ao filme do Kid Bengala, me empolguei, fiquei muito na vontade…”, é claro que não, presumo. Os consumidores podem não se “entregar”, mas é espantosa a alta demanda em todo o mundo por materiais adultos. Veja abaixo alguns dados de um site de pesquisa norte-americano chamado TopTenReviews sobre a indústria pornográfica:

 – A indústria pornográfica faturou US$ 97 bilhões em 2006 nos 16 países em que sua atuação é mais forte; o ranking é liderado por China (US$ 27,4 bilhões), Coréia do Sul (25,7 bilhões), Japão (19,9 bilhões) e Estados Unidos (13,3 bilhões); o Brasil aparece em 16º lugar (US$ 100 milhões).

– O faturamento da indústria pornográfica é maior que das oito maiores empresas mundiais de tecnologia somadas (Microsoft, Google, Amazon, eBay, Yahoo!, Apple, Netflix e EarthLink); nos Estados Unidos, a arrecadação supera a das redes ABC, CBS e NBC.

– Por mês, são realizados 1,5 bilhão de downloads de material pornográfico (35% do total); existem hoje 4,2 milhões de sites desse tipo no mundo (12% do total); 42% das pessoas que usam a internet consomem esse material.

– 20% dos homens admitem acessar sites pornográficos no trabalho (contra 13% das mulheres); 10% dos adultos confessam ser viciados em pornografia na rede (17% das mulheres dizem lutar contra o vício); um em cada três visitantes de sites pornô é mulher; há duas mulheres para cada homem nas salas de bate-papo.

– A cada 39 minutos, um vídeo pornô é produzido nos Estados Unidos.

 Bom, estas estatísticas só confirmam algo já imaginado por todos: o ser humano só pensa naquilo! Agora, uma boa notícia em relação à pornografia é que ela pode ser útil a uma sociedade, segundo as últimas pesquisas realizadas nos Estados Unidos.

 Até então se julgava o gênero de entretenimento como algo pecaminoso, incentivador do estupro, estimulador da violência sexual, além da degradar a imagem feminina, porém Milton Diamond, professor do departamento de anatomia, bioquímica e fisiologia da Universidade do Havaí e diretor do Pacific Center for Sex and Society, afirma que aqueles que possuem esta visão estão muito equivocados.

 Em seu relatório “Pornography, Public Acceptance and Sex Related Crime: A Review”, (Pornografia, aceitação pública e crimes sexuais: uma revisão), foram feitas pesquisas em países como EUA, Japão, Dinamarca, Croácia, China, Alemanha, Polônia entre outros, e foi apontado que desde a liberação para comércio de produtos pornográficos, os índices de estupros caíram, em alguns casos, mais de 30% quando comparados à década de 70. E outro dado importante, no estado de Utah nos Estados Unidos, onde o acesso à internet é menor, apresenta índices mais altos de violência sexual se comparado aos locais anteriores.

 Quanto à criminosos sexuais, existe o mito de que são viciados em pornografia e tudo mais, só que o Profº Diamond refuta este estereótipo com o argumento que estes indivíduos provavelmente tiveram menor acesso a pornografia na infância, e agora na tenra idade adulta são flagrados com materiais adultos. Além disso, foi mostrada uma avaliação da população carcerária norte-americana, onde os estupradores seriam aqueles que menos consomem material erótico, em oposição àqueles presos por outros tipos de crimes.

 Ademais, foi abordada na pesquisa a questão do detrimento da figura da mulher por parte da pornografia.  Foi observado que as mulheres são quem ganham os mais altos salários, e em poucas indústrias isso acontece. E pesquisas de psicologia relacionadas ao tema atestam que homens que tem contato com pornografia são menos machistas em relação àqueles que não tem. O mesmo vale para ações antissociais, o governo inglês, assim como o canadense, durante quinze anos realizaram estudos para saber se de fato a pornografia e comportamentos machistas andavam lado a lado. Resultado: nada foi provado.

  Enfim, o Pura Volúpia julgou interessante divulgar esta pesquisa no Blog, pois, ela nos apresenta uma visão bem diferenciada e, principalmente houve uma pesquisa científica que legitima essa visão alternativa aqui abordada. Essa questão da pornografia é muito pessoal, não é errado gostar ou não gostar. Cada um à sua maneira.

  E, você tem contato com materiais pornôs? O que achou da pesquisa, surpreendente, ou não?  Divulgue seu ponto de vista sobre o assunto.

Conte-nos sobre suas dúvidas e sugestões pelo e-mail blogpuravolupia@gmail.com  e siga o @pura_volupia no Twitter!

h1

Quer ver um filme? Veja Pornochanchado!

25/03/2010

Por Juliana Narimatsu

Pornô. Filmes pornôs. Afinal, tais filmes possuem compromisso marcado todos os dias às duas da matina. Porém, não falarei explicitamente sobre filmes que exibem pornografia mesmo. E sim, discutirei sobre um assunto um pouco mais remoto. O Pornochanchado.

O Pornochanchado é um gênero do cinema nacional que surgiu, durante os anos 70, em São Paulo. A maior produção se encontrava na região central da cidade, um quadrilátero que se estendia pela Rua do Triumpho e suas adjacências, e era conhecida como Boca do Lixo (sem comentários). O Pornochanchado, influenciado pelas comédias populares italianas, foi, assim, apelidado, pois trazia elementos do gênero chanchada – predomínio de humor ingênuo, burlesco e de caráter popular –, além do erotismo. Entretanto, tais filmes não possuíam cenas de sexo explícito, diferente dos pornôs.

Mas, o que poucos sabem, é que o Pornochanchado foi um sobrevivente da censura.

Senta que lá vem história…
A ditadura militar. O AI- 5. A censura (e bota censura!). Neste período, entre os anos 60 e 80, o cinema, como qualquer mídia e produção artística, era constantemente asfixiado pela censura. Tal repressão era feita quando se observava qualquer manifesto contra o governo e suas atitudes. Assim, prateleiras e prateleiras ficavam amarrotadas pelas obras de arte, enquanto seus criadores eram exilados ou presos.

 
O jeitinho brasileiro de sempre…
Em 1932 houve o decreto de várias leis de obrigatoriedade de exibição de filmes brasileiros, dando um espaço para o Cinema Brasileiro. Dessa forma, surgiu a lei que obrigava as salas de cinema a exibirem uma cota de filmes nacionais por ano. E, embarcando nessa onda que o Pornochanchado atendia aos interesses do governo. Além de lotar as salas com seu baixo nível cultural e técnico e seu repertório sem compromisso político, tais filmes traziam bons lucros para o Estado. O Pornochanchado também contribuía fazendo com que o público esquecesse o período que estava vivendo.
  

Vera Fischer

Antonio Fagundes

E, através desses filmes, que vários diretores começaram a exibir seu talento, como Fauzi Mansur, Jean Garret, Alfredo Sternheim, Ody Fraga, Juan Bajon, entre outros. Os atores e atrizes também começaram a ganhar fama, e alguns conseguiram migrar para a televisão, como é o caso de Vera Fischer e Antonio Fagundes.

Entretanto, os filmes de Pornochanchado sofreram nos anos 80. Com o fim da lei das cotas de exibição de filmes nacionais e do surgimento de filmes que exibiam sexo explícito, o Pornochanchado começou a entrar em decadência.  

O mundo dá voltas. E os filmes de Pornochanchado também (he-he-he)
Após esse longo conhecimento que você, querido leitor, obeteve; o Pura Volúpia oferece uma ótima dica para aqueles que querem reviver o passado do Pornochanchado. Sim, no SESC Santana (Av. Luiz Dumond Villares, 579), até o dia 31 de março (falta pouco, galera!), se encontra a exposição “Musas da Boca”.

Lá, você, leitor, pode contemplar as fotos de algumas das musas que formaram o Cinema Nacional, como a Gloria Menezes, Helena Ramos, Sandra Brea, entre outras. Também é possível vislumbrar pôsteres e cartazes dos filmes. Além disso, o SESC exibiu, durante o mês de março, todas as terças-feiras, às oito da noite, filmes gratuitos da época, e, no mesmo dia, palestras sobre o assunto. 

A exposição

 

Pôster do filme "O Desejo"

Cartaz do filme "As Prostitutas do Dr. Alberto"

Na póxima terça, dia 30, confira o filme “Fantasias Sexuais” (1982) e um bate-papo com Máximo Barro, às 22h, sobre “As Mulheres no Cinema Brasileiro”. Não percam!
 
Conte-nos sobre suas dúvidas e sugestões pelo e-mail blogpuravolupia@gmail.com  e siga o @pura_volupia no Twitter!
h1

Apresentação

12/03/2010

Carol, Dai, Gabi, Grazi e Ju. Das mentes dessas cinco estudantes de jornalismo surgiu o Pura Volúpia. Entre nós, a diversidade vai além de sermos loira, negra, morena, ruiva e japonesa, respectivamente. É com a diversidade de opiniões e pontos de vista, que vamos trazer pautas novas sobre um dos assuntos mais antigos na humanidade: o sexo. Quem não gosta? Quem não tem dúvidas? Quem não quer saber mais? Nós cinco queremos, e mostraremos a você tudo o que descobrirmos! Afinal, quando se fala em sexo nada é exagero – é Pura Volúpia!

Siga o @pura_volupia no Twitter!