h1

Ponto o quê? Descubra o seu ponto!

01/04/2010

Por Juliana Narimatsu

Não, caro leitor, não estou brincando com você. Este post realmente falará sobre pontos. Porém, não são pontos finais, reticências, ponto cruz, nem nada disso. Para ser sincera, esse assunto é bem mais interessante do que você, leitor, imagina (e de grande proveito, diga-se de passagem). Hoje, discutiremos sobre pontos do seu corpo e do corpo do seu parceiro, que, na verdade, (para sermos mais científicos) são as zonas erógenas.

Zonas Erógenas
As zonas erógenas são determinadas partes de seu corpo onde, através do toque, pode trazer excitação sexual. Comum em diversas espécies, tais zonas possuem uma função mais sério do que apenas favorecer (lógico) a transa. Os livros sobre biologia do sexo relatam que estimular essas partes é uma maneira de selecionar indivíduos mais capazes de excitar seus pares
(cuidado!).
Muitos estudos de anatomia definem que essas áreas são mais sensíveis ao toque, por causa da quantidade de terminais nervosos sob a pele, como também a espessura da derme, que, quanto mais fina, mais sensível.
Há, também, especialistas que caracterizam essas zonas em dois tipos: as zonas inespecíficas que, quando bem estimuladas, podem causar enorme excitação, como a parte de trás do percoço, as axilas, a cintura; e, as zonas específicas, que são o clitóris, vulva, lábios, boca, mamilos…
(regiões bem conhecidas, não é?).

“As zonas erógenas nas mulheres e nos homens costumam ser as mesmas”, relata o ginecologista Eliano Pellini, em entrevista para o Globo Online , “já que são áreas que tanto no corpo deles quanto no delas contêm mais terminações nervosas. A diferença é que as mulheres dão mais valor às preliminares e às sensações sutis, elas costumam precisar de mais estímulos em diferentes áreas do corpo para se sentirem excitadas, enquanto só o estímulo visual já é capaz de provocar ereção no homem; mas, nos homens as zonas costumam ser muito mais focadas nos genitais”.
Não é por acaso, então, que vários textos com tom sensual descrevem minuciosamente cada pedaço do corpo dos envolvidos.
Enfim, depois desse longo conhecimento, o Pura Volúpia, após várias pesquisas, traz um cardápio das “partes” que você, caro leitor, pode introduzir (he-he-he) na sua relação sexual.
 
Vamos por partes (ok?)
Boca: irresistível. É onde toda a relação começa: o beijo. Quem não gosta de beijar? E quanto mais se dá, mais se quer (como tudo na vida, não?). Os lábios se tornam mais sensíveis quando aumenta a excitação. Então, incremente. Mostre a sua criatividade. Experimente diferentes tipos de beijos (e mais que uma vez!). Um beijo bem dado pode trazer outras maravilhas (he-he-he).
Orelha (fala que eu te escuto): o ouvido, com seu conjunto de nervos e pêlos, é extremamente sensível, pois isso é um mecanismo de defesa contra a invasão de bichinhos que entram sem querer, ou de uma língua também (he-he-he). O lóbulo da orelha, a cavidade do pavilhão e a parte de trás são áreas sensíveis ao toque, por isso, explore bem!
Pescoço: por que será que o vampiro acha essa a parte mais deliciosa de suas presas? Além de ser uma área irrigada pelo sangue, possui também muitas terminações nervosas. Por isso que essa parte do corpo é bastante “delicada”. Uma respiração de pertinho ocasiona arrepios. Porém, é importante lembrar que é a nuca e não a frente do pescoço, pois o estímulo nessa parte não é compreendido pelo cérebro como sexual, se tornando algo bem desagradável.
Peito: os mamilos é a parte mais sensível dos seios. Quando estimulados, ajudam na liberação do hormônio oxitocina, um dos responsáveis pela sensação do orgasmo. Tem vezes que, quando o estímulo é bem caprichado, pode ocasionar um orgasmo mamário, um tipo de clímax quase que exclusivamente feminino. A sensibilidade da pele nos seios é maior ao redor dos mamilos. Tanto homens (apesar de não quererem admitir), quanto mulheres possuem prazer nessa região. Entretanto, há um alerta ao público masculino: no ciclo menstrual, carícias nessa região podem ser dolorosas.
 
 

Algumas zonas erógenas

Costas: área com grande presença de inúmeros feixes condutores de estímulos sensoriais. Essa região é um dos pontos do organismo em que há mais nervos à flor da pele (literalmente). Além disso, por ser uma parte em que o próprio dono não possui muito acesso (você consegue se acariciar nas costas?), as costas tem grande influência na relação sexual. Por isso, surpreenda! Estimule bem essa região com uma bela massagem.
Barriga: A excitação aumenta à medida que vai se aproximando dos órgãos genitais. A área ao redor do umbigo é extremamente sensível nas mulheres.
Coxas: A parte interna delas é extremamente sensível para ambos os sexos. Por ser um local perto dos genitais, onde a irrigação do sangue é maior, a estimulação das coxas prova uma ferveção na área genital.
Pés: são 26 ossos, unidos por ligamentos que formam 33 articulações (não preciso falar mais nada). Local onde mais sentimos cócegas, tal parafernália de conexões unidas com o resto do corpo, quando estimuladas, transmitem sensações agradáveis dos pés a cabeça. Os dedos dos pés também são uma região bastante sensível. Explore!
Bumbum: considerado a área mais ancestral das zonas erógenas, a sensibilidade é mais intensa nas regiões próximas ao ânus, ponto de chegada de inúmeras terminações nervosas e, por isso, território erógeno de altíssima potência.

Direto ao ponto
Para os homens (nas mulheres)
Clitóris: com milhares de terminações nervosas, é a região mais sensível do corpo feminino. Na estimulação sexual, o clitóris muda de cor, pois os seus tecidos enchem de sangue. O estímulo nessa região pode provocar um orgasmo mais prolongado. O orgasmo clitoriano costuma ser o mais comum e o mais fácil de alcançar.
Vagina: os grandes e pequenos lábios, devido a sua grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas, são um dos principais pontos sensíveis durante a relação.
Para as mulheres (nos homens)
Testículos: uma das zonas mais frágeis do corpo masculino, mas também a mais erógena. Estimular essa região requer sensibilidade, porque o que deveria provocar prazer pode se transformar em dor.
Pênis: a glande do pênis, ou, (popularmente conhecida) a cabeça do pênis é a zona mais sensível do corpo masculino e o onde se encontra o ápice do prazer.
Outras regiões que causam excitação através do toque são os joelhos, palmas da mão, axilas e o períneo (entre o ânus e o órgão genital).

Diversas pessoas acreditam que ter conhecimento sobre essas zonas erógenas pode fortalecer a relação, porém, salientam que isso vem de cada pessoa, cada relacionamento, como nos relata L. M., 19 anos, “Sim. Acho que fortalece a relação principalmente quando é encontrado naturalmente, quando o parceiro já conhece bem a pessoa e sabe satisfazê-la da maneira que ela gosta”.

A sexóloga australiana Tracey Cox, autora dos livros “Atração” e “Supersexo”, acredita que conhecer bem seu corpo é fundamental para chegar, ao que ela chama, de “supersexo” (uepa!), além de compartilhar suas fantasias e sugerir novas posições.

Livro "Supersexo"

Pois é leitor, agora que soube o quão é válido o conhecimento sobre as zonas erógenas, que tal fazer um super download deste post para na hora H surpreender seu parceiro.

Conte-nos sobre suas dúvidas e sugestões pelo e-mail blogpuravolupia@gmail.com  e siga o @pura_volupia no Twitter!

2 comentários

  1. A matéria está muito bem escrita Juju!
    é muito importante falar de assunto como esse, pois nem sempre o que é prazeroso pra uns é para outros…
    Estão de parabéns pelo blog!
    beijos


  2. Interessante descobrir as regiões mais sensíveis da mulher. Colocarei em prática em breve……



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: